Manjar branco

Há quem ame e quem odeie essa sobremesa. Mas uma coisa é certa, todo mundo conhece. É um clássico dos almoços de domingo.

Essa sobremesa já foi bem diferente da que conhecemos hoje. Acredite se quiser, mas já foi salgada! Dá pra imaginar isso? O blancmange, termo cunhado pelos franceses, foi levado à Europa pelos árabes, por volta do ano 1200. Era um prato muito nobre e quase sempre reservado aos doentes e debilitados. Uma porção de peito de frango cozido e esmigalhado era adicionado ao leite de amêndoas e engrossado com pó de arroz, pouco sal e um ingrediente muito raro na época: o açúcar, que tinha mais a função de remédio. Depois perfumava-se o manjar com água de rosas.

Durante muito tempo essa receita permaneceu assim. Foram os portugueses que trouxeram a receita para o Brasil, mas pela escassez de leite de amêndoas e fartura de leite de côco, a receita foi adaptada. Mais tarde com a introdução da Maizena no país, a receita sofreu nova adaptação.

E a versão como conhecemos com calda de ameixas, foi mais tarde trazida pelos imigrantes libaneses, que tem um doce chamado Mahalabie, um creme com leite de amêndoas, amido de arroz, e uma calda de frutas secas, podendo ser ameixa ou damascos e água de flor de laranjeira. Leva ainda pistaches e algumas receitas pedem cristais de almíscar .

No Brasil, a receita continuou a usar o leite de côco, mas foi acrescentado leite de vaca , amido de milho, muito açúcar e ameixa em calda.

A nossa receita volta a sua origem, com o emprego do leite de amêndoas. Mas continuamos com uma porção do leite de côco, que deixa o manjar mais cremoso. Vai pouco açúcar na receita, pouco amido de milho e uma compota caseira feita com ameixa seca, muito mais saborosa que a ameixa em calda.

Muito simples de se fazer e com poucos ingredientes. A receita ficou perfeita, digna de ser chamada de: ”O manjar dos Deuses”!

O leite de amêndoas deixa um sabor bem delicado. E ainda acrescentei um pouquinho de essência de baunilha na falta da água de flor de laranjeira.

Mas também já fiz só com leite de côco e o sabor fica mais intenso. Faça o leite de côco em casa, é só bater no liquidificador côco seco in natura e água quente, depois coar num pano de trama fina e está pronto para usar. Não aconselho usar leite de côco de caixinha, é muito aguado.

Aí vai de você gostar muito ou não de côco. De toda maneira, independente do leite vegetal que você usar, a receita leva uma garrafinha de leite de côco tradicional industrializado.

Eu nem coloco açúcar na compota, pois açúcar já não é remédio há muito tempo… E o manjar já é doce, mas se você gosta de sobremesa melada, pode adicionar 1 colher de sopa de açúcar.

Também é possível fazer o manjar com leite de aveia, tem receita aqui: https://alergiazero.blog/2019/01/26/leite-de-aveia-sem-gluten/

Se usar o leite de aveia, você consegue usar menos amido, pois o leite de aveia dá uma engrossadinha quando aquecido. Então use metade do amido e veja se o manjar engrossa até alcançar a fervura. Qualquer coisa é só ir dissolvendo mais amido em um pouquinho de água e ir acrescentando ao manjar, até ficar no ponto. Aqui você também pode pingar umas gotinhas de baunilha.

Se você torcia o nariz pra essa sobremesa, tenho certeza de que agora você vai olhar o manjar branco com outros olhos!

Experimente!

Ingredientes:

  • 400 ml de leite vegetal (amêndoas, côco ou aveia)
  • 200ml de leite de côco tradicional industrializado
  • 30g de amido de milho ( use menos se estiver usando leite de aveia)
  • 70g de açúcar refinado
  • Gotas de essência de baunilha, se estiver usando o leite de amêndoas ou o leite de aveia.

Para a compota de ameixa:

  • 200g de ameixa seca sem caroço
  • 250ml de água

Modo de preparo:

  1. Dissolva o amido em um pouco de leite vegetal, misture bem.
  2. Adicione o restante do leite vegetal, o leite de côco e o açúcar.
  3. Cozinhe mexendo sempre, até engrossar e ficar no ponto de um mingau.
  4. Retire do fogo e coloque o manjar numa tigela, que possa ficar dentro de outra com água gelada. Mexa até esfriar completamente. Isso evitará a formação de película sobre o manjar.
  5. Despeje o manjar em um refratário ou distribua em taças.
  6. Leve para gelar, por pelo menos 2 horas.
  7. Enquanto o manjar esfria, prepare a compota:
  8. Corte as ameixas grosseiramente.
  9. Leve ao fogo junto com a água.
  10. Cozinhe mexendo as ameixas por uns 5 minutos, até que elas se desmanchem um pouco, mas não completamente.
  11. Espere esfriar e leve à geladeira.
  12. Sirva por cima do manjar.

Rende 4 porções de 200g

Se sobrar compota, leve-a ao fogo novamente com um pouquinho de açúcar e deixe reduzir, vai se transformar em uma deliciosa geléia.

Ou coma com iogurte grego, também fica muito bom!

História do manjar branco: https://entresabores.com.br/manjar-branco-um-prato-que-se-transformou-ao-longo-do-tempo/

Publicado por Noeli Santos

Olá! Sou apaixonada por cozinha e desenvolvo receitas testadas e aprovadas sem ovo, leite, glúten e soja!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: