Pão de alfarroba

Pão de alfarroba sem glúten, sem ovos, sem lácteos

Eu não tenho muita experiência com pães… Ainda estou trilhando neste complexo caminho. Se já é complicado fazer um pão tradicional, imagine só como é fazer um pão sem glúten! O glúten é a proteína responsável por fazer a teia de glúten para que o pão cresça e fique fofinho.

Depois de testar inúmeras receitas de pão sem glúten, finalmente fiquei satisfeita com este pão.

Já vi inúmeras receitas de pão sem glúten, mas a maioria leva ovos, que também ajuda no crescimento do pão. Como não uso ovos nas minhas receitas, fica mais complicado fazer um pão leve e gostoso.

Teve um dia que fiz massa de pizza e tentei improvisar um pão branco com um pouco da massa que sobrou; ficou muito bom! Mas não anotei na hora os ingredientes que usei e acabei esquecendo como fiz… A pizza consegui reproduzir depois, mas o pão não.

Como a minha filhinha sempre pedia aquele pão escurinho do Outback, resolvi tentar a sorte novamente. O primeiro não assou direito, apesar de ficar horas no forno. O segundo murchou, ficou abatumado. O terceiro finalmente deu certo! Saiu um pão muito macio, com aquele gostinho de malte do pão australiano! Mas não usei malte; nem cacau! Usei alfarroba.

A farinha de alfarroba ou alfarroba em pó é o resultado da moagem da polpa das vagens torradas de alfarroba. Esta árvore é muito comum na Europa. A alfarroba é rica em vitaminas A, B1 e B2, niacina, cálcio e magnésio.

A alfarroba é bem familiar dos portugueses, que fazem muito esse pão, só que usam farinha de trigo.

Nesta receita troquei a farinha de trigo pela farinha de arroz. Também usei farinha de trigo sarraceno; que de trigo não tem nada, na verdade é um parente próximo do arroz. E alfarroba em pó!

Além de ser rica nutricionalmente, a alfarroba substitui muito bem o cacau e o chocolate nas preparações, pois tem um sabor levemente adocicado e achocolatado, com a vantagem de não ter gordura. Nos pães confere uma textura suave e aquele gostinho de malte do pão australiano.

E é bem fácil de encontrar a alfarroba. Você compra a granel nos empórios de produtos naturais. E também não é cara; um pacotinho de 100g dá pra fazer 4 pães grandes!

Nesta receita também vai psyllium, que é uma fibra natural, obtida da planta Plantago; ela auxilia no bom funcionamento do intestino e diminui o nível de colesterol no sangue . Na receita esta fibra ajuda no crescimento do pão.

E também vai goma xantana, pra dar liga na massa e o pão não ficar seco demais.

Tudo isso você compra nesses empórios de produtos naturais.

Lembre-se de que se você for celíaco ou se a sua alergia for muito forte, procure por produtos certificados de que são livres de glúten. Pois nos empórios à granel sempre vai ter contaminação cruzada. A Zona Cerealista tem loja on-line e eles certificam que os produtos à granel são 100% livre de glúten. A alfarroba também é vendida embalada por uma marca que só faz produtos de alfarroba : a Carob House.

Quando você entende o método de fazer pão sem glúten, percebe que é muito mais prático, pois não precisa de duas fermentações como no pão tradicional; depois de misturados todos os ingredientes, é só colocar na forma untada, esperar crescer e assar. De 30 à 40 minutos, crescendo em local fechado é o suficiente; eu deixo dentro do micro-ondas com uma xícara de água quente; isso favorece uma temperatura adequada para a fermentação.

No forno também coloco um recipiente com água… Isso é necessário para fazer a casquinha do pão. O vapor da água não deixa o pão queimar por fora, enquanto está assando por dentro. Mas não é banho-maria! Esse recipiente não vai embaixo da forma do pão! Coloque no fundo do forno ou na grade de baixo.

Outra diferença é a consistência da massa… No pão tradicional a massa fica mais densa. No pão sem glúten, a massa deve ficar como a massa de bolo mais encorpada. Para ficar mais fácil de misturar tudo, eu uso a batedeira. Pode ser com as pás de fazer bolo mesmo.

A massa fica molenga. Sai da batedeira direto para a forma untada. Então é só alisar a superfície com as mãos úmidas. Se você quiser, ainda pode polvilhar a superfície com fubá.

Quando faltar 10 minutos para completar o crescimento do pão, pré-aqueça o forno à 240ºC. O forno deve estar bem quente. Quando o pão atingir o crescimento até a borda da forma pode colocar no forno e assar por 50 à 60 minutos. Retire do forno e espere esfriar para tirar da forma. E resista à tentação de cortar o pão ainda quente, senão ele vai murchar!

Em alguns casos, o pão pode crescer bem e depois, já no forno pode descer um pouco. Se ficar bem assado, não vai ter problema , é só virar ao contrário pra cortar.

Neste pão, aconteceu isso. Então virei ao contrário, polvilhei com farinha de arroz e alfarroba. Mas o sabor ficou ótimo!

Depois de frio, coloque num saco plástico e mantenha fechado. Durou 3 dias! Como fica um pão grande, você pode cortar e congelar uma metade.

Eu não precisei congelar, porque adoro pão caseiro! E sem glúten fica mais leve, a digestão é muito mais fácil. Comi demais!

Ingredientes:

  • 120g de farinha de arroz
  • 100g de farinha de trigo sarraceno
  • 90g de polvilho doce
  • 25g de alfarroba em pó
  • 12g de psyllium
  • 6g de sal
  • 40g de açúcar demerara
  • 10g de fermento para pão sem glúten
  • 5g de goma xantana (1/2 colher de café)
  • 200ml de água morna

Modo de fazer:

  1. Unte uma forma de pão e reserve
  2. Na tigela da batedeira, misture todos os ingredientes secos
  3. Adicione a água morna aos poucos e comece a bater
  4. Adicione o restante da água e misture novamente. A massa deve ficar com a consistência de massa de bolo, meio molenga, mas não líquida. Se for necessário adicione mais um pouco de água.
  5. Coloque a massa na forma untada.
  6. Deixe crescer dentro do microondas ou dentro de um local fechado. Coloque perto, uma xícara de água quente.
  7. Espere 40 minutos ou até que a massa alcance a borda da forma.
  8. Pré-aqueça o forno à 240ºC quando faltar 10 minutos para por o pão.
  9. Coloque um recipiente com água no forno.
  10. Asse por 50 à 60 minutos .
  11. Retire do forno e espere esfriar um pouco para tirar da forma. Assim que você conseguir segurar a forma, pode tirar o pão.
  12. Espere esfriar completamente para cortar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s